Pular para o conteúdo principal
Duas senhoras na praia, uma passando protetor solar na outra

Hora de comprar protetor solar: saiba como escolher o melhor

O sol está presente na nossa rotina em todas as estações, mas é no verão que ficamos mais expostos a ele. É preciso ter cuidado redobrado com a pele e com a exposição aos raios ultravioletas (UV), que podem causar danos. É por isso que o protetor solar é indispensável não só no verão, pois a radiação também age nos dias nublados.

Existem muitas dúvidas que envolvem o protetor solar: será que ele pode fazer mal para a pele? Como é que se escolhe o Fator de Proteção Solar (FPS)? É necessário um produto para o rosto e outro para o resto do corpo?

Antes de tudo, vamos entender como a radiação funciona, e quais os efeitos dela na pele desprotegida:

 

Radiação UV, UVA, UVB... UV o quê?

A radiação UV pode ser dividida em: radiação ultravioleta A (UVA) e radiação ultravioleta B (UVB). A radiação do tipo UVA é responsável por induzir o bronzeamento da pele, mas a exposição frequente e sem proteção pode causar envelhecimento precoce. 
 

Plano fechado, homem aplicando protetor solar no braço.

A radiação UVB pode causar queimaduras solares, catarata e câncer de pele, entretanto, em exposição moderada é essencial na síntese de vitamina D, cuja carência pode aumentar o risco de problemas cardíacos, osteoporose e doenças autoimunes, como esclerose múltipla.

É por isso que a exposição diária ao sol sem protetor solar é indicada quando fica entre 15 e 20 minutos, após esse tempo é necessária a utilização dos fatores de proteção. Vale ressaltar que a exposição ao sol das 10h às 16h sem proteção solar não é recomendada.

 

Como escolher um protetor solar?

Na hora de adquirir um protetor solar é necessário levar em conta alguns números: o fator de proteção solar (FPS), que é o que indica a proteção contra os raios UVB, e se o produto contém o PPD (Persistent Pigment Darkening), que é o tipo de proteção contra a radiação UVA, responsável velho envelhecimento da pele. 

Outros dois pontos importantes é se ele oferece resistência à água e qual é a textura dele: spray, creme, gel... A escolha da textura é um fator decisivo na hora de tornar a aplicação do protetor solar uma rotina, já que se ele for muito difícil de espalhar, por exemplo, é provável que você abandone o uso. 

Se você se incomoda com aquele cheiro característico de protetor solar, isso também pode ser uma barreira para o uso. Busque por produtos sem cheiro ou com perfumes suaves, que não vão interferir na aquisição do hábito de utilizar o produto.

 

Fator de Proteção Solar (FPS)

Em termos de fator de proteção, as pessoas com pele mais clara devem investir em um protetor solar com fator 30, no mínimo. Quando aplicado antes da exposição ao sol e reaplicado nos intervalos certos, o protetor solar com FPS 30 oferece 96% de proteção. Já os fatores mais altos protegem a pele durante mais tempo, com menos reaplicações. 

Quem tem pele morena a negra pode escolher um FPS menor, pois possuem naturalmente mais melanina – protetor natural da pele. Mas cabe ressaltar que o uso do protetor solar não pode ser dispensado, para evitar queimaduras, câncer de pele e outros problemas. 

Os protetores solares com cor também são alternativas para evitar o envelhecimento precoce da pele, pois eles também protegem a pele dos raios de luz visíveis – como reflexos de janelas, luz de aparelhos eletrônicos e de lâmpadas.

 

E a textura do protetor solar?

A textura do protetor solar não influencia no princípio ativo, e deve ser escolhida levando em conta o seu gosto pessoal e o seu tipo de pele.
 

Plano detalhe duas mãos em frente a uma piscina, uma delas segurando o tubo de protetor solar e a outra com produto depositado.

Se a sua pele for seca, ou estiver passando por uma fase ressecada, aposte nos protetores em creme, que vão hidratar a sua pele. 

Para quem tem pele oleosa a dica é procurar os produtos à base de água, com textura gel, gel-creme, mousse ou sérum. As loções também estão liberadas, desde que sejam oil free.

A versão em spray faz sucesso em todos os tipos de pele, além da facilidade de aplicação, mas é bom ler o rótulo antes de comprar: algumas marcas indicam que o produto seja borrifado nas mãos e só então aplicado no corpo.

>>> Ficou em dúvida sobre qual a diferença entre as texturas de produtos para o seu tipo de pele? Acabe com elas <<<

 

A quantidade aplicada de protetor solar faz diferença?

Muita! É necessário aplicar uma boa quantidade do produto, ou o FPS indicado na embalagem não será o mesmo na pele.

A quantidade recomendada por especialistas equivale, geralmente, a uma colher de chá para o rosto e três colheres de sopa para o corpo, espalhadas uniformemente, de modo a não deixar nenhuma área desprotegida. 
 

Plano fechado mulher na rua, passando protetor solar no ombro.

Quando aplicado em menor quantidade do que a indicada a proteção contra o sol é muito menor do que a indicada no FPS.

O filtro solar deve ser usado todos os dias, mesmo quando o tempo estiver frio ou nublado, pois a radiação UV atravessa as nuvens. Lembre de proteger também os lábios, usando batons hidratantes e com filtro solar, especialmente quando ocorrer exposição prolongada ao sol. 

LEMBRETE: é um consenso dizer que o protetor deve ser aplicado na pele seca, tanto na primeira aplicação quanto nas reaplicações.

 

Mas e aquela história sobre o protetor solar fazer mal a longo prazo?

A Universidade de Sidney e o Instituto Melanoma da Austrália comprovaram através de pesquisas que o protetor solar protege efetivamente contra o melanoma, que é um tipo comum de câncer de pele.
Além disso, já existem pesquisas de longo prazo que confirmam os benefícios do uso do protetor para evitar o envelhecimento precoce da pele, inclusive em pessoas de 40 anos ou mais.

O protetor solar é uma das etapas mais importantes em uma rotina de cuidados com a pele. Uma das rotinas que vem fazendo sucesso é a K-Beauty:

Saiba tudo sobre a rotina de beleza coreana que vem conquistando as brasileiras: