Pular para o conteúdo principal
Benefícios dos ácidos graxos para o organismo: Ômega 3, 6 e 9

Ômega 3, 6 e 9: benefícios dos ácidos graxos para o organismo

Na hora de buscar uma alimentação mais equilibrada, se tem um item que gera polêmica é a ingestão de gorduras. Para quem se pergunta se todas as gorduras são ruins para a saúde, a resposta é: nem todas são. Há aquelas que trazem benefícios para o organismo, por possuírem ácidos graxos, e atuam fornecendo energia, compondo as membranas celulares, produzindo hormônios e ajudando na absorção de vitaminas e minerais. 

 

Quais gorduras existem e quais são boas para o organismo?

Podemos dividí-las em gordura saturada e insaturada. Elas foram e continuam sendo muito estudadas, mas o que já foi provado é que a ingestão de alimentos ricos em gorduras saturadas aumenta o risco de desenvolvimento de doenças coronarianas. 

Já as insaturadas tem efeitos benéficos para o organismo. 

Essas gorduras insaturadas ainda são divididas em ácidos graxos monoinsaturados, por exemplo, o ômega 9 e poli-insaturados, os ômegas 3 e 6. As gorduras boas, como são conhecidos popularmente esses ácidos graxos, são essenciais para o bom desenvolvimento do organismo. 

No entanto, o ômega 3 e o ômega 6 não são produzidos pelo organismo, por isso são chamados de ácidos graxos essenciais. Eles precisam ser ingeridos, através dos alimentos ou da suplementação através de cápsulas, por exemplo. 

Outro benefício da ingestão dos ômegas 3 e 6 é o fato de serem necessários para o organismo produzir o ômega 9. E níveis equilibrados entre os três garantem que o organismo se mantenha saudável.

 

Benefícios dos Ômegas 3, 6 e 9

O Ômega 3 atua, principalmente, na proteção do coração e do sistema circulatório, reduzindo níveis de colesterol ruim (LDL) e aumentando do bom (HDL). Esse ácido graxo essencial também é capaz de prevenir doenças como artrite reumatóide e doença inflamatória intestinal.

Capaz de acelerar o metabolismo, favorecendo a queima das gorduras extras do corpo, o Ômega 3 também está relacionado com a diminuição de processos inflamatórios, e da chance do surgimento de certos tumores, principalmente os relacionados ao estrógeno.

Mais uma atuação do Ômega 3 é no controle da glicemia, evitando picos de insulina e mantendo a sensação de saciedade por mais tempo. Atua também no desenvolvimento cognitivo, sendo essencial para um bom desenvolvimento do cérebro.

O Ômega 6 tem como principal função estimular o crescimento celular, além de estar relacionado com o funcionamento correto do sistema nervoso. Outra função é a de fortalecer o sistema imunológico, além de reduzir o acúmulo de líquidos.

O Ômega 9 está diretamente ligado aos hormônios sexuais, além de atuar na formação celular e na absorção de vitaminas. Seus benefícios também se relacionam com o controle da ansiedade, a diminuição de níveis de triglicerídeos e no equilíbrio do colesterol.  

 

Ômega 3, 6 e 9: alimentos que são fontes de ácidos graxos

  • Ômega 3: Peixes de águas frias: salmão, atum, bacalhau e sardinha; Verduras de folhas verdes escuras, como couve e espinafre; e Óleos vegetais: canola, girassol, milho.
  • Ômega 6: Óleos vegetais, como linhaça, soja, milho; ovos; nozes, amêndoas e amendoim.
  • Ômega 9: azeite de oliva; azeitona; castanhas, amêndoas e nozes; abacate, óleo: gergelim e coco.

 

No entanto, os alimentos na maioria das vezes, não fornecem a quantidade necessária desses ômegas, seja por perdas durante o seu processamento, ou pela dieta pobre em alimentos com essas gorduras boas. Para tentar minimizar essas perdas, especialistas recomendam o consumo de antioxidantes, como por exemplo, Vitaminas C, E e selênio.

Mas essa não é a única forma, uma boa opção para manter níveis adequados de ômega 3, 6 e 9 e obter os seus benefícios, é a suplementação com cápsulas que contém esses ácidos graxos, as quais podem ser facilmente encontradas em farmácias e drogarias. Por exemplo, cápsulas de óleo de linhaça, óleo de prímula, óleo de borragem, óleo de peixe, etc. 

 

Efeitos adversos

Antes do consumo de suplementação é necessário consultar um médico para ter conhecimento das necessidades do organismo. 
O consumo acima da dose recomendada pode causar sintomas como: dor de cabeça, dor abdominal, enjôo, diarréia e aumento dos processos inflamatórios. 

 

CONTRAINDICAÇÕES: Gestantes, alérgicos a frutos do mar, pessoas com problemas de coagulação e pessoas com próteses cardíacas não devem consumir a suplementação sem indicação médica. 

 

Lembramos que o consumo de qualquer tipo de suplementação deve ser associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.